Princípio Gerais de Jogo

Princípio Gerais de Jogo

Escrito em 20/04/2018
André Rodrigues


Campeões da Europa de Futsal, é verdade! Esta conquista é reveladora da verdadeira, e enorme, evolução de uma Modalidade que no panorama desportivo Nacional ainda é jovem em comparação com modalidades como o futebol, hóquei em patins, ou até mesmo o basquetebol. Esta conquista baseou-se não só no grande trabalho de desenvolvimento da modalidade realizado por diversas entidades ligados ao Futsal, e também na excelência do jogador Português, mas sobretudo deve-se ao grande trabalho de todos os treinadores que se dedicam e empenham no crescimento e valorização desta modalidade.

Esse trabalho baseia-se na qualidade do treino, na potenciação da individualidade de cada atleta, na análise tática e estratégica de cada situação de jogo, e todos os outros momentos em que o treinador pode claramente fazer a diferença. Para tal, e sem margem para dúvidas é necessário conhecer o jogo e o treino, conhecer a modalidade na sua particularidade, e conhecer a modalidade enquanto desporto coletivo. Será neste contexto que periodicamente serão apesentados artigos, com temas importantes e enriquecedores, para qualquer treinador que valoriza não só a partilha de conhecimento, mas também, e sobretudo o crescimento enquanto técnico, gestor e pedagogo de atletas da modalidade de Futsal.

As primeiras linhas a serem escritas irão debruçar-se sobre os Princípios Gerais de Jogo das modalidades coletivas.

O Futsal como modalidade desportiva coletiva partilha, com tantas outras modalidades, os mesmo Princípios Gerais de Jogo, princípios esses que serão essenciais para um bom conhecimento do treino e do jogo. Princípios esses que irão fundamentar não só o resultado final de um jogo, mas sobretudo irão fundamentar o crescimento contextualizado dos atletas com uma modalidade coletiva.



É com este gráfico que se condensa o essencial dos Princípios Gerais de Jogo, e é com esta perspetiva que se deverá abordar todos os treinos e jogos, todos os momentos serão uma oportunidade de passar a mensagem a todos os atletas que é importante ter presente estes Princípios Gerias de jogo, sendo os mesmos essenciais para o sucesso coletivo e para o desenvolvimento individual.

Numa análise mais profunda, e em que contexto se inserem os Princípios Gerais de Jogo dos desportos coletivos, e inerentemente do Futsal, existem exemplos práticos que facilmente poderemos colocar perante os atletas, contudo para os mesmos fazerem sentido em treino ou jogo de Futsal, é necessário também conhecer os Princípios Específicos de jogo do Futsal, algo que será abordado num futuro muito próximo.

Quando se fala em:

“Recusar a inferioridade”, quer em momento de posse de bola, quer em momentos de tentativa de recuperação de posse de bola não deveremos permitir situações em que, numericamente, o nosso coletivo seja inferior ao do adversário, numa determinada microestrutura de jogo, por exemplo após uma perda de bola existir um 2 vs. 1 ou após uma recuperação de bola existir uma situação de 1 vs. 2.

“Potenciar a superioridade”, quer em momento de posse de bola, quer em momentos de tentativa de recuperação de posse de bola devemos potenciar ao máximo situações em que, numericamente, o nosso coletivo seja superior ao do adversário de forma a garantirmos a objetividade do momento em que estamos (genericamente, marcar golo, ou recuperar a posse da bola). Numa determinada microestrutura de jogo, por exemplo após uma perda de bola existir um 1 vs. 2, para recuperar bola, ou após uma recuperação de bola existir uma situação de 2 vs. 1, para concretização de uma situação de finalização

“Evitar a igualdade”, quando ambas as equipas, em dado momento, têm o mesmo numero de jogadores numa determinada microestrutura de jogo, a qualquer momento poderá existir um desequilíbrio, o qual irá significar um momento de vantagem ou desvantagem que irá de encontro às duas expressões anteriores “Recusar a inferioridade” e “Potenciar a superioridade”.